segunda-feira, 13 de junho de 2011

Recomeço - Capítulo 20 - Parte 2 - Mostro a Renesmee meu esconderijo

- Essa é a sala de banhos, tecnologicamente projetada para os banhos mais requintados da tribo. - eu disse, como um cara preparado em marketing. Enquanto a agua caia com tanta força no rio, eu e Renesmee estavamos tirando nossas roupas, iriamos nadar um pouco se divertir até dizer chega. Sentir o corpo pesado demais, até os dedos enrugarem, ficarem iguais a dedos de velhos.

Nessie entrou na agua devagar, sentindo a agua esfriar cada celula de sua pele. Ela se abaixou, até o pescoço, rangendo, e levantou-se novamente se jogando na agua. Comecei a correr em direção a Nessie, como se fossems velhos amigos brincando na água, se divertindo. Entrei calmamente, ela se jogou contra mim, numa força inexperada

Não poderia negar que estava adorando como Nessie, aquela brincadeira entre nós dois. Pude perceber, depois de ter entrado, que água estava quente, um alivio para mim, a caverna era fria, por causa que a rocha de cor barrenta, era um pouquinho fria. Estávamos  a sós na lagoa, isso me deu uma certa inquietude. Pude perceber que Nessie estava adorando estarmos sozinhos ali, naquele lugar que eu tinha planejado por muito tempo.

De repente, não estava sentindo minhas pernas, não estava sentindo o chão firme debaixo da água calorosa. Eu não estava sentindo meu corpo, pescoço a baixo, e pude perceber que estava entrando numa escuridão.

"'Pai, posso falar algo com você?'eu perguntei, eu não estava mais na lagoa, estava na aldeia de meu pai, que estava localizada numa área da Nigéria. A aldeia era igual a nossa, só qu ecom um detalhe, ficava num deserto arenoso, a areia era fina e rica. O sol era escaldante, estávamos num oáses, pegando agua para a aldeia.

"'Claro' ele disse, apenas disse pensar.

"'Depois de mim, quem vem?'

"'Óbviamente, o seu filho, se você tiver um filho, ele vai ser o próximo líder depois de você meu filho. Mas que pergunta!' dei um tempo, deixando meu cérebro processar as informações.

"'Mas se eu não tiver filho?'

"Bom, aí vai depender, se você não tiver nenhum herdeiro, seu irmão que irá governar, se você tiver herdeiros, mais de um, eles vão briga entre si, quem ganhar vai ser o líder, e se você tiver uma menina, ela vai escolher um marido que irá governar por ela. Uma mulher líder de aldeia, é sinal de maldição, para nós.'

"'Eu acreditava que as mulheres poderiam governar, já que teve uma líder mulher.'

"'Mas sabe o que essa mulher fez? Ela desorganizou nossa aldeia, fez o caos com ela, fez inimizade com aldeia vizinhas, aldeias que eram amigas da gente, viviamos em guerra, e tivemos que matá-la. Desse dia em diante, nunca resolvemos colocar as mulheres no poder.

"'Bom, eu não sabia, achava que era por outro motivo, melhor não comentar.

"Filho, não importa qual vai ser o seu filho, quantos, o que ele é, mulher ou homem, ou não, ou for uma outra coisa. Mas nunca esqueça que ele é o seu filho, merece sua atenção.

"'Tudo bem, pai.

***

Se passara uma semana, desde que eu tinha tido esta visão, ou algo próximo. Bom, desde esse dia, Nessie estava passando por situações criticas, não parava de vomitar, o que estava me preocupando, tinha dores constantes na barriga, estava dando tempo para o sangue - como era de costume, em um dia semana, caçávamos - o que estava me colocando numa preocupação. Nessie, o que vamos dizer, não estava menstruando, falei! Bom, como eu sabia? Nessie me disse que a semana que se passara, era a semana que sua menstruação não viria.

Outra semana se passou, a menstruação de Nessie não veio, ela ficou preocupada. Os vômitos tinham piorado, e não sei como ela estava vomitando, se desde que ela chegara aqui, era muito raro encontrar Nessie comendo comida humana. Essa semana, Nessie me falou que estava com desejo de comer comida humana, tive de pegar algumas bananas, ou frutas que eram costumes aqui na floresta.
De vez em quando, enquanto saía para caçar, eu fazia alguns furtos a supermercados. Roubava alguns saquinhos de batata frita enlatada, Cheetos, e outros biscoitos que eu gostava, alguns de chocolate, outros com lascas de chocolate, uns bolinhos, uma compra do mês.

O que me surpreendeu, foi a velocidade que Nessie comeu a comida. Em menos de uma semana, a cômoda de madeira frágil, já tinha se esvaziado. Graças a Deus, aquelas comidas eram fedorentas, o supermercado que eu assaltava, era um inferno para mim.

Eu não gostava daquela comida, preferia o sangue, o sangue molhado e quente dos humanos, pulsando na veia, a adrenalina invadindo cada celula da meu corpo.

Mas eu não posso negar, as vezes dava uma escadinha, e acabava comendo alguns petiscos.

Agora, eu estava devorando alguns biscoitos com lascas de chocolate, sentado na esteira, esperando Nessie chegar do consultório do Curandeiro.

A porta de madeira escancarou, e vi Nessie passar pela porta. O rosto mais palido do que uma folha de papel. Ela não olhou para mim, acho que não percebeu minha presença na cabana. Fiquei encarando ela de um modo que não atraiu sua atenção. O sangue estava vindo a tona, em minha cabeça. Me levantei, deixando o biscoito na esteira. Fui até Nessie.

- E aí, Nessie, o que aconteceu? O que é? - percebi que essas perguntas eram tolas demais, pois Nessie nem sequer se virou para me encarar. Estava desfiando uma maçã com as unhas enormes. Fiquei encarando suas costas, tenso. - Fala Nessie! O que houve.

- Me perdoa, me perdoa, não fiz por querer, não quero dar um golpe. - ela estava soluçando, chorando, a voz amarga e abafada. Mal sabia eu a bomba que viria.

- Nessie, do que voce ta falando?

- Eu não sei, não sei como vai ser a minha vida depois dele ou dela...

- Nessie, do que voce está falando?

- Ai meu Deus, me ajude, me de forças para superar isso.

- Nessie, do que voce tá falando, tá me deixando preocupado demais. - senti que as lagrimas escorriam. Senti o fluxo de sangue em meu corpo aumentar ainda mais, senti que meu coraçao estava que nem uma maquina que nao para de funcionar, quanto mais recebia sangue, mas acelerado ele batia. O ar escapou de meus pulmões, e senti meu corpo leve demais para ficar ereto. Senti que mais uma vez, algo iria acontecer em minha vida, que a mudaria.

- Lembra... quando a gente... foi na caverna? - fiz que sim com cabeça. - Então... - ela respirou fundo - lembra do que aconteceu na lagoa?

- O que aconteceu na lagoa? - perguntei, aflito.

- Nós... nós... nós transamos.

Senti o sangue pular de meu corpo, por cada buraco dele, nas orelhas, no nariz, na boca, até pelas minhas feridas. Só foi uma sensação, graças a Deus não aconteceu.

- Só isso?

Eu já estava arrependido de ter feito tal coisa, mas se fosse mentira?

- Não, uma bem pior.

- O que? Você pegou alguma doença sexual?

- Não, Graças a Deus isso não aconteceu. Mas... Conny, eu estou... grávida.

Senti que as lágrimas caíram, era para eu estar com raiva, mas eu não sabia porque. O sangue desceu por minhas veias, eu não estava mais raciocinando. Mas senti a minha boca se esticar, num sorriso.

- Grávida? Você tá grávida? Você vai ser mãe?

- E o pior... são gêmeos. Um menino e uma menina.

Não pude suportar o peso da notícia, desmaiei debilmente sobre o chão da cabana.

Nenhum comentário:

Pesquisa personalizada

The Twilight Saga - Breaking Dawn - Part 2