quarta-feira, 30 de maio de 2012

Recomeço Capítulo 24 - Entro na guerra


24. Entro na guerra


As mãos de Edward se fecharam em meu pescoço, e lançou meu corpo na parede. De tão pesado que foi o impacto, o chão se rachou quando meu peito tocou nele. Não tive tempo de olhar para ver o que acontecia. Edward já estava fechando os braços em volta do meu corpo, quando eu consegui observar Bella aflita, ao lado de Carlisle, o vampiro loiro. Ninguém fazia nada, apenas olhava a briga.
Carlisle deu um passo a frente, e impediu que Edward prosseguisse para tirar minha cabeça. As mãos do mais forte, se fecharam nos braços de Edward, enquanto Carlisle o largava e vinha até a mim. A primeira coisa que eu pensei, foi que ele me mataria no lugar de Edward.
- Emmett, leve Edward daqui! Ele precisa se acalmar! Ande! - Emmett, o fortão puxou o braço, mas Edward conseguiu se soltar, e veio correndo em minha direção. Mas um grito ecoou dentro da recepção, onde estávamos agora:
- Edward! Pare! - Bella gritou com todas as forças. - Pare, pare com isso, pare com esse showzinho porquê você não está conseguindo audiência. - todos olharam para Bella, até eu com minha face toda rasgada! - Nessie está grávida, e você tem que aceitar a situação, você não é o dono do mundo, Edward. Foi a mesma coisa quando eu tava grávida de Nessie, você queria que eu abortasse Nessie.
- Tirasse, não abortasse. - disse ele.
- Para mim isso é aborto. Eu não tirei Nessie, e veja, ela está grandinha e você a ama, porque é tão difícil você amar os filhos dela? É algum pecado, Edward? Vai te matar?
- Isso que ela carrega na barriga, é uma aberração. Metade Vampisomem, metade Vampiro, metade humano, isso é aberração. E Aro...?
- Sua filha está grávida, e você só pensa em problemas com Aro? Deixa de ser hipócrita.
- Esse não é meu forte, Bella. Hipocrisia não cabe no meu perfil. - ele disse. - Alice? - a menina de cabelos pretos e curtos deu um passo a frente, um passo elegante. - Você consegue enxergar alguma coisa no futuro, em relação aos filhos de Nessie?
- Consigo. Consigo enxergar um casal de crianças, pálidas, correndo na neve. E um jovem correndo atrás das crianças, felizes, eles brincam, as crianças caem em cima dele, alegres e sorridentes, como se aquilo fosse muito divertido.
- Esse é você, Edward, e esse sãos seus netos. Você vai cuidar bastante deles, vai se dedicar a eles, agora aceite eles. - disse Carlisle pondo a mao nos ombros de Edward.
Ele parou, respirou e pensou. Eu não sabia no que ele estava pensando, mas sentia que era uma coisa boa, ele desistiria da luta, ele me deixaria em paz, eu e Nessie seríamos pais e coisa e tal. Nós seríamos uma família. Bella chegou a meu lado, me pegou pelo braço e me puxou para a escada.
- Ele vai esfriar a cabeça, mas vai ter de aceitar os seus filhos. Connolly, eu só quero saber como isso tudo aconteceu... como pode ser?
- Bella, eu e Nessie nos amamos,Edward tem de aceitar isso.
- Eu sei, mas como que aconteceu?
- Isso é uma coisa íntima.
- Venha, vamos pegar um ar fresco, você precisar respirar um pouco. - Bella seguiu em direção a porta de vidro, abriu-a e esperou eu passar. Descemos os degraus conversando sobre filhos, Bella contou sobre suas experiências com Nessie, eu não pude falar de nada experiente, nunca cuidei de crianças.
- É sempre assim, filhos são uma dádiva da vida. É como o rio Nilo, que abastece o Egito, filhos são o Nilo, pais são o Egito.
- Entendo.
Olhei para o céu, e vi as estrelas pendendo da noite escura, elas estavam em volta de uma lua cheia. Lua Cheia não era perigosa para mim, ela me dava forças, me dava poderes, mas porque na hora da luta, eu me senti fraco o suficiente para morrer pelas mãos de Edward. Poderia me transformar em lobisomem, mas senti o lobisomem preso dentro de mim, como se minhas veias fossem correntes que naum o deixavam ser livre. Olhei o rosto de Bella, fascinada pela minha calmaria.
- Nunca soube que Nessie seria sua filha. - eu consegui dizer algumas palavras.
- Entendo, Nessie é muita linda, chama a atenção dos homens. Mas você eu sinto que ama ela de verdade.
- Eu amo.
- Então, eu estou feliz por ela dar continuidade aos Swan, quando ela era perquenininha, pensava em Nessie, uma mulher increvelmente bonita que atraía os homens e os matava para saciar a própria sede, como o caso de Nora da Itália, ela é da corte dos Volturi, e estava me contando como era sua vida antes de entrar para a "civilidade", como ela desceve eles. Pensei em Nessie assim, vingativa, sanguessuga, nunca imaginei Nessie como uma mãe zeladora, mas ela amostrou que essas teorias eram falsas.
- Os Volturi não entendem como é ter um fruto da paixão.
- Não entedem mesmo, mas eu até entendo eles. Aro se preocupa muito com os vampiros, ele protege sua lei com uma fidelidade, mas acho que Aro escolhe os piores jeitos de lidar com as leis. Ele não procura saber do fato, ele quer calar a boca dos outros com a morte, para que não sejam dadas as afirmações, Aro tem um sangue escuro, um sangue de trevas, que o impede de enxergar o mundo.
- E Caius é o mais idiota naquele bandinho.
- Caius tem medo de Aro, um medo que o impede de se rebelar contra Aro. Enquanto estávamos em Volterra, Carlisle e Edward conversarm com Caius, conseguiram fazê-lo se virar contra Aro. Mas Aro foi paciente, e em vez de matá-lo, o expulsou dos Volturi. 
Não contei para Bella que eu tinha encontrado Caius, preferi ficar calado no meu canto.
- E Marcus?
- Marcus é um exemplo de bom homem, ele se mostrou para mim, uma pessoa que eu não sabia que existia nos Volturi. Marcus está do nosso lado, Carlisle conseguiu fazer com que Marcus se juntasse a gente, Aro vai tomar uma guerra em suas mãos que ele vai ter que aturar.
- Peraí, vai haver uma guerra?
Bella suspirou, como se ela estivesse procurando as palavras certas para usar:
- Vai. Os vampiros estão cansado do governo sujo de Aro, e essa será uma guerra que o mundo dos vampiro naum poderá ser esquecida.
- Sabe que Aro vai até o fim do mundo para deter as pessoas que vaum contra seu governo?
- Sim, eu sei. Marcus está calculando os passos de Aro, estudando-o e passando as informaçoes para Edward e Katrina, uma nova menina da guarda. Quando estivermos acumulado tudo, iremos nos reunir e atacara os Volturi.
Uma guerra passava em minha cabeça, uma luta grupal onde pessoas guerreavam por causa de liberdade. 
- Eu quero participar.
- Não será necessário, não queremos que os vampisomens se entrometam em assuntos vampíricos.
- Bella, que você lembre, eu também sou um vampiro, as leis de Aro valem para minha espécie, ele cansou de punir infratores em nossa espécie. Vamos ser um auxilio nessa guerra.
- Carlisle que tem que ver isso.
- Não ter nada com o Carlisle, só quero fazer parte dessa guerra. Eu não quero não, eu vou fazer parte.
- Só você?
- Posso recrutar alguns vampisomens, mas seria necessário que eu voltasse a Irlanda ou Nigéria.
- Faria isso? Arriscar a vida da sua tribo para nos ajudar?
- Eu faria qualquer coisa para salvar Nessie ou sua família.
- Então tá. Eu vou avisar a Carlisle. - olhei para o lado, onde ela estava e não vi mais Bella ali. Ela já tinha partido.
Foi bastar ela entrar em casa, que um vulto passou por entre as árvores. Fiquei meio assustado:
- Não será do jeito deles, será do meu jeito. - disse uma voz masculina, quando levantei a cabeça. Aro estava parado em minha frente, examinando minha expressao!

Nenhum comentário:

Pesquisa personalizada

The Twilight Saga - Breaking Dawn - Part 2